segunda-feira, 19 de junho de 2017

CHICO ANYSIO, O COMPOSITOR – Berilo de Castro


Durante muitos anos, o Brasil se alegrou, riu, aplaudiu e reverenciou o seu  humorista maior – Chico Anysio.
Em março do ano de 2012, perdemos o seu convívio. Faleceu aos  80 anos na cidade do Rio de Janeiro/RJ; uma perda lastimável e de difícil substituição.
Como é bom poder rever os seus inesquecíveis programas, quando são reprisados em forma de homenagem ao grande mestre do humorismo brasileiro.
Francisco Anysio de Oliveira Paula Filho -( Chico Anysio ), Maranguape/CE, abril de 1931- Rio de Janeiro/RJ, março de 2012.
Sua história como compositor, surgiu e foi inspirada no final da década de 1950, ao escutar a música “Gente Humilde”, na versão instrumental gravada por Aníbal Augusto Sardinha ( Garoto – 1915-1955); muitos anos depois, a música recebeu a letra de Vinicius de Moraes e Chico Buarque de Holanda, consagrando-se como uma das mais belas poesias musicais da MPB.
Recebeu influência direta de sua mãe Haydée Paula, sua primeira parceira;  portanto, herdara uma forte influência genética da família, onde  todos  respiravam e nutriam música.
Teve a feliz e genial  companhia no início da sua carreira de compositor, da amiga, compositora e parceira   Dolores Duran (1930-1959), chegando a gravar um LP com quase todas as músicas de sua autoria; destaque para “A fia de Chico Brito”, um baião que fez muito sucesso e foi destaque no LP – “Estrada da Saudade”, de Dolores.
Em 1955, a revista Disco – Tocando/RJ, apresentou uma relação com as 100 melhores músicas brasileiras, na qual figuravam quatro composições de Chico Anysio em parceria com o potiguar( macauense) Hianto de Almeida, considerado por ele( Chico) como um grande músico e um dos precursores da Bossa Nova.
Foi na canção “Conversa de Sofá”, da parceria Chico/ Hianto, que o maestro Tom Jobim, fez o seu primeiro arranjo – o início da consagração e da imortalidade do genial maestro.
Chico compôs mais de 200 músicas. Seus principais parceiros foram: Dolores Duran, Arnaud Rodrigues (1942-2010) e Piau, que juntos criaram o trio musical e humorístico “Caetano e os Novos Baianos”(1970), como uma sátira ao movimento tropicalista; fez grande sucesso; gravou vários LPs; registro maior para a música “Vou batê pá tu”. Outra feliz parceria foi com Nonato Buzar (1932-2014), com a música ” O Rio Antigo”, com a belíssima interpretação de Alcione; com João Roberto Kelly,compôs “Rancho da Praça 11”, gravada brilhantemente por Dalva de Oliveira, a canção foi premiada no carnaval carioca do IV Centenário, no ano de 1965; com o músico potiguar Hianto de Almeida, gravou mais de 60 músicas.
Teve as suas músicas gravadas por grandes e famosos intérpretes, como: Dolores Duran, Elizete Cardoso, Dalva de Oliveira, Luiz Gonzaga, Benito di Paula, Alcione e outros.
 É bom rever, revelar e reviver essa bela e inteligente faceta, do nosso genial humorista Chico Anysio.
 Saudades!!!
Berilo de CastroMédico e escritor

Nenhum comentário:

Postar um comentário